Planejando as ações para meu aluno com deficiência em 2019
1591
post-template-default,single,single-post,postid-1591,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-inclusão na escola,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Planejando as ações para meu aluno com deficiência em 2019

Planejando as ações para meu aluno com deficiência em 2019

Saiba como criar um Plano Educacional Individualizado (PEI) para estudantes público-alvo da educação especial e faça o download gratuito da ferramenta

Por Silvia Ferraresi

O planejamento de estratégias pedagógicas é fundamental para a organização dos professores e bom desempenho dos alunos. Entretanto, quando falamos dos estudantes público-alvo da educação especial ou com transtornos de aprendizagem, muitas vezes, ficamos de mãos atadas, sem saber por onde começar.

Se você se encontra nessa situação, não precisa mais se preocupar! Neste artigo, você irá aprender a criar um Plano Educacional Individualizado (PEI) para orientar o planejamento de estratégias pedagógicas inclusivas e, ao final, poderá baixar um modelo da ferramenta para usar no dia a dia. Vamos lá?

O aprendizado é singular

Somos seres únicos e aprendemos de forma singular. Mas por que, então, a escola continua ensinando como se fôssemos iguais em nossos ritmos, interesses e habilidades?

Creio que dois fatores explicam isso. Primeiro: nós, educadores, muitas vezes desconhecemos estratégias pedagógicas que contemplem cada um dos alunos em sua diferença e a todos no conteúdo comum. Segundo: porque não conhecemos, de fato, nossos estudantes.

A primeira pergunta que costumo fazer aos professores que eu assessoro é: o que seu aluno gosta? Afinal, como disse o pedagogo Henri Wallon, “não há como se dirigir à inteligência da criança sem se dirigir à criança como um todo”. Como, então, pretendemos tornar a escola um local de respeito às diferenças se não conhecemos nossos estudantes?

Recentemente, durante uma formação, uma professora relatou o que fazia para incluir um garoto com autismo em uma turma de 1º do Ensino Fundamental. Disposta a conhecer cada aluno, ela percebeu o interesse restrito do menino no personagem Mickey Mouse. Desde então, a docente tem usado o personagem nas atividades de língua portuguesa, arte, matemática etc.

Com essa estratégia, o garoto começou a se envolver mais nas aulas e está avançando na comunicação com a professora e com o grupo. Outras crianças também gostaram das atividades, o que deixou a aula interessante para todos.

O Plano Educacional Individualizado (PEI)

O Plano Educacional Individualizado (PEI) é um instrumento de planejamento e acompanhamento do processo de aprendizagem dos alunos público-alvo da educação especial. A referência é o estudante e seu processo de aprendizagem.

O PEI é uma ferramenta importante para ajudar o professor na elaboração de estratégias pedagógicas assertivas. Ele reúne informações importantes, tais como:

• Características do aluno
• O que ele já sabe
• O que ele precisa desenvolver

É importante destacar que esse documento é colaborativo, ou seja, é produzido em conjunto pelo professor da sala de aula regular, pelo professor da atendimento educacional especializado (AEE), pela família e pela equipe que atua com o estudante fora do espaço escolar, se houver. Entretanto, o responsável pelo Plano é o professor de sala regular.

Como o PEI pode ajudar?

O Plano Educacional Individualizado é o primeiro passo para conhecer o aluno e definir as estratégias para atender suas necessidades educativas dentro do contexto da sala de aula.

Com o documento, o professor conseguirá reconhecer as barreiras que limitam a aprendizagem e a plena participação do estudante com deficiência, assim como os facilitadores para o ensino dos conteúdos gerais. Além disso, fica mais fácil identificar quais recursos e adaptações serão necessários para garantir a aprendizagem em igualdade de condições.

O Plano deve ser revisitado ao longo do ano letivo. Conforme o aluno alcança os objetivos traçados, novos devem ser determinados. O PEI é considerado um registro para escola e para o professor, uma vez que nele estão os detalhes do desenvolvimento do estudante.

Como usar o documento na prática?

O Plano Educacional Individualizado amplia as possibilidades para planejar estratégias diversificadas para expor um conteúdo. A parceria com a família, professor de AEE e equipe multidisciplinar é primordial para a elaboração criativa do planejamento. São informações relevantes para o PEI:

• Observações dos familiares sobre o estudante e recursos utilizados por ele
• Considerações dos profissionais da saúde que o acompanham, se houver
• Percurso de aprendizagem dos anos escolares anteriores

Ao final, todos devem assinar, validando a veracidade das informações. Caso a família ou os terapeutas, por exemplo, não queiram fornecer informações, o professor pode registrar a recusa no documento. Dessa forma, a escola estará se protegendo de possíveis acusações.

Achou o PEI interessante, mas não sabe como criar um? Faça o download gratuito de um modelo e comece a estruturá-lo.

Precisa de ajuda nesse caminho?

Nós do Inclusão na Escola queremos te ajudar na criação do Plano Educacional Individualizado — e em outras demandas relacionadas à inclusão de alunos com deficiência, autismo ou dificuldades de aprendizagem. Nossos principais serviços são:

• Formação de capacitação de professores, equipe gestora e demais envolvidos com o processo ensino e aprendizagem
• Mentoria para a implementação do processo
• Assessoria para o desenvolvimento do plano e currículo

Entre em contato pelo site ou envie um e-mail para silvia@inclusaonaescola.com.br para mais informações. Vamos juntos fazer sua escola ser cada vez mais inclusiva!

No Comments

Post A Comment